3 Séculos de História e Muita Coisa Ainda para Aprender: Dia Mundial da Propaganda

Dia 04 de Dezembro é o Dia Mundial da Propaganda e nada melhor do que reunir algumas das campanhas que mais marcaram a história pela criatividade e originalidade, não é mesmo?

No Brasil, registros dizem que a propaganda surgiu em meados de 1800. De lá pra cá, é claro, muita coisa mudou, afinal, propaganda e comportamento social andam juntos. Mas como será que estas propagandas seriam pensadas / adaptadas para o contexto de mundo atual? É riquíssimo apreciar a criatividade, mas também fazer este exercício para ter o olhar mais treinado para o futuro, afinal há ainda muito aprendizado, rumo a uma publicidade diversa e inclusiva – e a mais recente campanha de Natal da Perdigão está aí para provar isso!

Personagem marcante: Bombril 

Quem nunca ouviu falar sobre o “Garoto Bombril”? Carlos Moreno foi o ator que fez este papel até 2011, ano que se despediu do personagem. O ator entrou para o Guiness Book, em 1994, como o garoto propaganda mais duradouro do mundo da publicidade. Por esse motivo, ele merecia estar entre uma das propagandas mais marcantes:

Mamíferos da Parmalat 

Em 1996 a Parmalat lançou uma promoção que dava os mamíferos da TV em bichinos de pelúcia para quem comprasse determinada quantidade do leite da marca. Uma grande sacada, pois era uma coleção do reino animal, que manteria os pais comprando por muito tempo para completar! O sucesso foi tanto que era necessários stands especiais dedicados apenas às trocas dos brindes, além de outras ações de guerrilha, como fotos promocionais em shoppings, ou lembrancinhas de Natal.

Se bichinos já são fofos, foi elevado à máxima potência tendo o comercial estrelado por crianças vestidas de animas mamíferos e um jingle inesquecível. Tente não morrer com essa fofura:

Que programa legal! 

Mais uma campanha que estourou – literalmente – na época dos jingles: vamos falar de pipoca!

Mais um jingle “chiclete” e estrategicamente criado pra gente lembrar a toda hora e cantar no chuveiro.

O que combina com pipoca pra ser um programa legal? Guaraná!
Foi um comercial dos anos 90 que espalhou essa brilhante combinação, que virou até um hábito:

Dollynho, seu melhor amiguinho 

Não adianta fingir, né? A Dolly conseguiu criar um mascotinho marcante para ser o personagem da marca.

A figura – que atrai a atenção de crianças, inclusive – junto com mais um daques jingles chiclete foi a fórmula certa pra cair no gosto popular.

Até aqui temos marcas apenas se divulgando, ou criando novos hábitos no público para gerar demanda e consumo. O papel das marcas não era político e nem a sociedade esperava isso das empresas.

E talvez esta seja a principal mudança na propaganda. As marcas hoje têm valores e posicionamento: elas são exigidas que tenham um propósito e isso muda completamente a maneira de se expor para o mundo.

Lute como uma garota 

Tempos passaram e campanhas como o “Meu primeiro sutiã” serão sempre referências, mas o empoderamento feminino tomou outra roupagem – ainda bem.
Uma das primeiras que sempre lembramos por aqui, que tomou uma proporção global rapidamente foi a que a marca Always fez, com a campanha “Like a Girl” (ou “como uma garota”), que foi premiada com um Grand Prix em Cannes. Se inspire:

Beleza real 

A Dove também vem fazendo um trabalho incrível e defedendo a beleza natural das mulheres, de todas as idades, cores e formas. Dentro deste propósito de valorização da beleza real, uma das campanhas mais intensas foi a “Scratch” (ou rascunho), que evidencia a baixa auto-estima das mulheres. Com isso, a marca se consolidou ainda mais e sua credibilidade aumentou pela questão de responsabilidade social:

Personagens reais 

Até os personagens mudaram, com o objetivo de ser mais real e humano.
Já pensou ter a Vovó Palmirinha estrelando um comercial da Netflix anunciando uma série? Pois é, aconteceu! A Netflix usou a vovó mais amada para anunciar a nova temporada de Orange is the New Black:

O discurso que nunca aconteceu 

O futuro pode ser maravilhoso e unir criatividade com dados tem se mostrado cada vez mais interessante, não apenas para gerar insights, mas também para conseguir passar mensagens mais relevantes.

Pela primeira vez, uma consultoria levou o Grand Prix em Cannes, unindo Inteligência Artificial, criatividade e informação. A campanha que mostra como seria o discurso do Presidente JFK no dia do seu assassinato levou o jornal a ser destaque na categoria Criative Data:

Esses são apenas alguns exemplos de propagandas que foram produzidas com ideias criativas. O futuro pode ser ainda mais brilhante, se a gente unir propósito, dados e criatividade. Está em nossas mãos.

 

 

NEWSLETTER:

Cadastre-se em nossa newsletter e receba nosso email mensal com curadoria exclusiva de conteúdo, descontos para eventos e cursos, convites exclusivos para encontros e muito mais!

Author

Letícia Oliveira

Estudante de comunicação e apaixonada pela área, jovem, sonhadora, sempre em busca de novos desafios e atualmente crescendo junto com a Media Education.


Comentários: