Email marketing

9 dicas práticas para melhorar a entrega e conversão dos seus emails

Temos pesquisado muito sobre boas práticas, estratégias, código, entre outros fatores aqui na Media Education para melhorar nossas entregas e conversões. Ao mesmo tempo, temos tentado melhorar nossa inteligência para segmentar melhor, criar um relacionamento verdadeiro e a longo prazo através do email marketing.

Ao mesmo tempo que existem coisas que só exigem aplicação e atenção, outras exigem uma equipe maior ou um investimento muitas vezes fora de cogitação para uma empresa de pequeno porte. Porém, existem formas de driblar isso. Não é o mundo ideal, é possível ter um resultado considerável.

Abaixo vou compartilhar algumas coisas que entendemos e estamos melhorando (e vamos melhorar ainda mais) e que podem servir para vocês:

1 – Entenda o potencial do email marketing e leve isso a sério

Muitas empresas fazem estratégias de email marketing ‘por fazer’. Sabem que dá resultado, mas limitam-se ao pensamento de “envia o email com as promoções na quarta de manhã e pronto”. Nós mesmos fizemos isso nos primeiros anos. Mandamos o mesmo email para todos os inscritos, sem pensar a fundo na abordagem, se queriam receber aquilo (uma pessoa de planejamento poderia receber um email de analytics, por exemplo).

O ruim deste pensamento é que, além de queimar seu próprio mailing (afinal as pessoas vão sair dele e muitas vezes denunciar como spam), você vai ter pouco resultado e vai jogar a culpa nos seus leads, ou achar que e-mail não funciona. E por último, ainda acaba queimando o mercado de newsletter no geral (“email é só spam hoje em dia”).

É importante entender que isso é uma estratégia poderosa e que traz resultado sim, mas não é simplesmente mandando email sem foco, sem segmentação que você vai vender mais.

2 – Coloque sua caixinha de captura de emails em mais lugares

Vejo muita gente falando que não sabe o que fazer com os emails que tem. Não tem problema!

Que tal colocar uma caixa de captura de email no rodapé do site, outra no blog, outra no Facebook e por ai vai? Dê a oportunidade da pessoa fazer parte de seu mailing hoje mesmo. Quando você decidir o que enviar, aí já terá alguns leads potenciais.

email-fast-company

Dica: se puder já pense em como segmentar isso desde o começo. Peça pelo menos informações como cidade, estado, aniversário ou interesse (promoções, conteúdo, notícias). Sem duvida é bem melhor do que depois ter que entender como conversar com as pessoas certas, quando já tiver todo mundo no mesmo mailing sem dados muito específicos.

3 – Troque HOJE o seu HTML por um responsivo

Resumidamente para quem não sabe: email é responsivo é aquele que se adequa a qualquer plataforma. Se você abrir pelo Gmail online, aplicativo, Outlook, Yahoo e etc, ele estará bem feito, totalmente funcional e legível em qualquer um deles.

O impacto de ter um email funcional é que as pessoas conseguirão ler mais facilmente. Caso contrário, elas darão unsubscribe e até poderão denunciar como spam.

Isso não é mais diferencial e sim obrigação. Diariamente eu recebo dezenas de emails de newsletter e propagandas, inclusive várias são de grandes empresas que possuem agência por trás. A maioria deles não é responsivo no celular e acabo deletando e saindo da lista. Quantas pessoas não fazem isso diariamente com seu emails?

theme-forest

Hoje você compra um template pronto a partir R$50,00 em sites como Theme Forest ou mesmo pode contratar empresas como a Templateria que pode fazer um email que funcione muito bem para você. Isso é conversão e respeito pelo usuário.

4 – Segmente sua base

Esse sem dúvida é um dos itens mais importantes e mais chatos de todos. Segmentar basicamente é falar com a pessoa certa.

Quantas vezes você homem não recebeu promoção de algo focado em público feminino e vice versa?

Como comentei acima, quando você cria segmentação desde o início, isso será menos trabalhoso. Se você tentar segmentar uma base de anos que não possuí muitos dados ou comportamento, será algo cansativo e muitas vezes não terá mais jeito.

No início da Media Education começamos a captar emails dos inscritos e aos passar dos anos fomos enviando emails frequentemente para essa base e, com o tempo, notamos o desempenho caindo cada vez mais. Entendemos que as pessoas estavam recebendo emails sobre tudo e elas não eram o público de tudo para ficarem recebendo email desta forma.

Limpamos a base, inclusive parando de enviar emails para quem não abria nada há mais de 6 meses. Essa pessoa claramente não tinha mais interesse na nossa comunicação e estava ajudando a aumentar a taxa de rejeição.

5 – Entenda que menos é mais 

Quando abrimos mão de parte dos nossos leads como comentado acima, entendemos que nosso mailing diminuiria quase 35%. Isso é assustador no primeiro momento. Mas com o tempo, os bons números apareceram e hoje nossa taxa de abertura é maior que a média geral do mercado.

Entendemos que de nada adiantava ficar enviando estes emails a mais se não vendia, se isso aumentava nossa taxa de bounce rate e ainda por cima enchia o saco da pessoa do outro lado. E claro, quanto maior sua base, maior o plano que você deve ter na sua ferramenta, ou seja, por outro lado estaríamos economizando um dinheiro que estávamos jogando fora.

Precisamos colocar na cabeça que número de likes, números de inscritos e etc só é bom se está convertendo. De nada adianta ter 100000 de usuários fãs de sua página no Facebook, se isso não traz nenhuma venda.

6 – Olhe as estatísticas e tenha paciência

Não temos área de inteligência, mas tivemos que começar a entender os números. Triplicamos a abertura dos nossos emails quando começamos a enviar segmentado e sem os leads inativos. Excelente!

Mas muitas vezes a taxa de cliques era baixo. Por quê? Isso era algum sinal. Testamos um novo título que chamou atenção, a pessoa leu… e pronto. Algo no email não estava chamando atenção. O que era? Vamos testar o formato do conteúdo. A partir daí são testes e testes que serão infinitos, pois os públicos se comportam de maneiras diferentes.

Hoje a maioria das ferramentas possuem opções de teste a/b, ou seja, você pode mandar 2 títulos e ver qual tem melhor resultado e depois enviar o vencedor para a base toda (ou segmentada).

7 – Dê nome as pessoas

Se você possuí o nome da pessoas em seu mailing, chame-as pelo nome. Parece besteira, mas percebemos que realmente faz diferença, principalmente quando o nome dela está no título. Por mais que as pessoas saibam que aquilo é um sistema, chama a atenção, sim. É algo simples mas que cria um vínculo, uma preocupação em falar corretamente com a pessoa.

8 – Seja mais pessoal, se possível

Como nosso mailing não é gigantesco, resolvemos assinar os emails com os nomes e emails pessoais. Por que? Primeiro lugar somos pessoas reais e não um “contato@corporacao” ou pior “naoresponder@corporcao”. É um email que, se você der reply, nós iremos receber e responder. Isso ajudou a chegar na caixa de entrada de mais pessoas. E a consequência disso foi que pessoas começaram a responder de volta agradecendo, elogiando e até sugerindo parcerias e reuniões. É algo mais pessoal e real.

Claro que para uma corporação que possuí 100.000 emails por exemplo, é impossível fazer isso. Mas se você é menor e está fazendo seu trabaho bem e não precisa temer as respostas, isso é uma oportunidade real de se aproximar de verdade das pessoas.

9 – Trabalhe com gatilhos prontos

Sabe quando você assina alguma newsletter e em seguida você recebe um email com algo bacana? Isso é um gatilho (também conhecido como automação). Começamos a enviar um email de boas-vindas com desconto, link para nosso grupo no Facebook, entre outras coisas, quando alguém assina a nossa newsletter.

Medimos frequentemente os resultados deste email e eles são excelentes, ainda mais se levar em consideração o não esforço de disparar isso. Se quiser saber mais sobre esse tipo de ação, você pode ler este material do MailChimp.

Espero que estas dicas sejam úteis e aplicáveis para todos vocês!

NEWSLETTER:

Cadastre-se em nossa newsletter e receba nosso email mensal com curadoria exclusiva de conteúdo, descontos para eventos e cursos, convites exclusivos para encontros e muito mais!

Author

Alexandre Formagio

Experience Director da Media Education, viajante (praticamente) profissional, sonhador, techno lover e criativo nas horas mais inusitadas da vida!


Linkedin Facebook Twitter Instagram
Comentários: